RSS

Why so serious?! The Oscar is mine… AhaHahAHah!

23 fev
Campanha "Coringada" do Oscar

Campanha "Coringada" do Oscar

Eu sempre critiquei o Oscar (Academy Awards). Sempre achei as premiações do Globo de Ouro e do festival de Cannes muito mais inteligentes e imparciais. Mas o Oscar é o evento mais badalado para o grande público e a eterna frase “… and the Oscar goes to…” já vive presente no imaginário popular. Talvez por isso, todos nós, que nos tornamos fãs de algum filme, ficamos torcendo para que ele seja premiado pela Academia. E quando se trata de um trabalho primoroso, mas que é estigmatizado por se tratar de um filme baseado em HQ, fantasia ou ficção, a torcida fica ainda maior.

Ontem não acompanhei a cerimônia de entrega do Oscar. Faz tempo que não acompanho, é muito chato, muito norte americano! Mas fiquei atento aos vencedores (veja aqui a lista de vencedores). E a grande boa notícia foi a de que o Coringa aprontou mais uma das suas e levou a estatueta para casa. Eu não tenho certeza se é a primeira vez que um filme baseado em HQ ganha um Oscar, não parei para pesquisar. Mas certamente é a primeira vez que recebe um prêmio tão importante (melhor ator coadjuvante) e tão marcante na história da Academia. É a segunda vez que se dá um Oscar Póstumo (a primeira foi em 1972, para Peter Finch). E dessa vez a entrega do prêmio não teve um “quê” político ou o caráter de premiação de consolo pelo último trabalho do ator. Não, o prêmio foi mais do que merecido.

Eu me lembro quando indicaram o nome de Heath Ledger para viver do Coringa em Batman – O Cavaleiro das Trevas. Torci meu nariz e falei que ele nunca iria superar a atuação de Jack Nicholson (Batman, 1989). Nunca considerei o rapaz de Broke Back Mountain convincente, e para fazer o Coringa (dotado de uma complexidade psicológica de dar nó em Freud, Jung e Lacan) era necessário um nome de peso. Mas “paguei a língua”! Ledger não só roubou a cena, como levou para as telas toda a miscelânea de sentimentos, amarguras, desleixos, distúrbios e cicatrizes que formam a conturbada mente do personagem. Em alguns momentos chega a dar nos nervos o comportamento do Coringa, seus trejeitos e sua fala cheia de malícia. Isso sem contar a “mágica” de desaparecimento do lápis!

O Coringa - Você sabe a origem dessas cicatrizes?

O Coringa - Você sabe a origem dessas cicatrizes?

E, como havia dito aqui, o grande mérito esteve em levar para as telas o verdadeiro conceito das HQs, sua profundidade e o que tem de melhor nas histórias dos personagens. Sem invencionices, sem novos paradigmas que só fazem retalhar o que há de melhor na identidade de cada um dos personagens. No final, Heath Ledger imergiu fundo no âmago do Coringa. Espero que não tenha sido tal imersão que o levou à morte (como se veiculou por aí). Um trabalho primoroso como o dele não merece o perjúrio, mas sim o prêmio!

So, why so serious? The Oscar goes to…

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em fevereiro 23, 2009 em Opinião

 

Tags: , , , ,

2 Respostas para “Why so serious?! The Oscar is mine… AhaHahAHah!

  1. Sandro

    fevereiro 23, 2009 at 10:19 pm

    E ele renasceu livre pra assumir sua forma neste mundo desprovido de moral……

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: